Arquiteto e Urbanista estabelecido em São Paulo, formado em 2012 pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. 
    Pós graduado em Design Luminotécnico e Design Contemporâneo pelo Instituto Europeu de Design no mesmo ano. Especializou-se em Projeto de Espaços Expositivos pelo Instituto Europeu de Design de Barcelona (Espanha), em 2013.
Por DECORNAUTAS (Allex Colotonio e André Rodrigues), sobre CASACOR 2019 (11 de Junho de 2019):
   "A magnífica e powercolorful Iris Apfel, designer de interiores e ícone fashion mundial nas horas vagas com quem tivemos a honra de dividir um croquete de palmito no aniversário de 40 anos do Guilherme Torres (uns 100 anos atrás ), já canetou "more is more and less is a bore" (mais é mais e menos é um tédio) – se você ainda não viu Nathalália Timberg em “Através da Iris”, corra porque teatro é cultura e décor com cultura é um espetáculo digno de aplaudir de pé! Apesar do gosto da nova geração pela contenção e assepsia (que a gente também adora, desde que a cozinha não fique com cara de necrotério), de tempos em tempos surge algum espécime raro que faz valer a estética do “menos só é mais quando mais não é bom”. Assim temos ótimos maximalistas de safras e estilos diferentes por quem colocamos as duas mãos e os dois pés (cada) no fogo, como Sig Bergamin, Fabrizio Rollo, Luiz Otavio Deebeus. Um dos caçulinhas da CASACOR SP, o enfant terrible Paulo Azevedo vem dessa linhagem. “Admiro vários decoradores contemporâneos, mas me inspiro mesmo é nos mestres do passado”, diz o menino de Ribeirão Preto que apesar de contar apenas 29 aninhos já acumula sete edições da Casacor na bagagem. O baby com vocação meio dândi cita mestres como o francês Vincent Darré e o inglês David Hicks (caso você se interesse por high décor couture, Google já nesses nomes, pois eles estão para a arquitetura de interiores como Liberace está para o piano!) e faz uma mistura de difícil execução, mas com efeito colorê afinado, culto, elegante."